3 de outubro de 2017

Dorme que passa, pequena.


Sei que a sua vida tá corrida e você nem sequer tá tendo tempo de por, o que está fora de ordem, no lugar. O tempo tá voando e você não dá conta de parar um pouquinho para arrumar toda essa zona. Normal, pequena, a vida tem disso: tem fase que tá uma maravilha, mas tem época que tá tudo bagunçado.
Não faz cara feia, não!, pelo contrário, sorria. Há tantas coisas para agradecer: o trabalho, a família, a saúde, os estudos, a vida, o abraço da mãe, o colo da vó, o carinho do pai, o bom dia do irmão. Tantas coisas mais importantes para você se preocupar e agradecer, e, perder tempo com um amor que não deu certo, não vai valer a pena.
Tudo na vida é questão de prioridade, de carinho, de respeito. Ninguém é tão ocupado assim. Você não dá seu jeitinho - mesmo que seja torto - para ficar ao lado de quem você gosta? Então! Quem quer dá sempre um jeito. Faz manobras. Da mortal. Vira o mundo de ponta cabeça mas, quando quer, faz acontecer. Então não esquenta a cabeça com isso não. Dê mais atenção ao seu trabalho, foca mais nos seus estudos. Não deixe isso interferir na sua vida profissional não. Relaxa. Isso não é o principal. O importante é você dormir com a consciência limpa de ter feito a sua parte do que acordar com peso na consciência de ter feito tudo errado.
Agradeça o que você tem. Abraça aquilo que te tira o riso. Cuida de quem está perto de ti te protegendo e querendo o seu bem. O resto é detalhe. Só dê valor aquilo que for recíproco. Que, na real, é o que vale a pena. Vai lá, pequena, você precisa descansar esse coraçãozinho bondoso: dorme que passa. Amanhã é outro dia. Vai ser outra oportunidade de você sorrir. A vida nos prepara cada história, mas também nos dá oportunidades de mudá-las. A gente tem sempre uma página em branco para escrever nossa vida e, tudo que a gente coloca nela, é por nossa conta. Vai lá! Escreva com o coração! A inspiração é sua.
Photo: Tamires Montonari / @tamirismontanari
Fernando Oliveira.


8 de agosto de 2017

― MALANDRA! (+18)





Era só mais uma noite daquelas que eu já sabia como iria terminar: marcas de batom na gola da camisa, calcinha rasgada no chão, cabelo todo bagunçado, Joe - I wanna know tocando de fundo naquele bar, gosto de vinho na boca, marcas de unhas cravadas nas costas, marcas da palma da minha mão em cada banda daquela bunda e o nosso juízo ausente que a gente esqueceu de levar pra'quele botéco.

Mas era isso que ela queria: ser devorada.

E, naquela noite, numa troca de olhar, eu vi que, aquela mulher, não tava para amorzinho. Eu notei no fundo dos olhos dela que, comigo, ela não iria perdoar. Pois quando me encontrou, sentou ao meu lado e me desafiou dizendo com o dedinho na boquinha enquanto dava um gole no seu vinho:

''Hoje eu duvido você acabar comigo!''

E eu, sem dó e piedade, acabei, literalmente, com ela.

Atendi o seu pedido. Correspondi ao seu tesão.

E foi no banheiro daquele barzinho mesmo, de frente pro espelho sujo, de mãos para o alto e com o joelho esquerdo apoiado naquela pia que eu, sem carinho, a estoquei forte até fazer ela gozar no meu pau enquanto puxava-a pelo cabelo e batia forte naquela bunda. ''Cachorra!'' - era o que ela pedia para eu dizer enquanto bombava forte a sua bucetinha e dedava, com o dedão, o seu cuzinho. E bombei, viu? E gozou com o meu pau na sua buceta. E gemeu com o meu dedo no cuzinho. E sorriu. E xingou. E me mordeu. E, sabendo que tava chegando a minha vez, ajoelhou-se e pediu, safadamente, porra quente na boquinha.

Atendi de novo o seu pedido e gozei. E gemi. E xinguei. E sorri. E bati, naquela cara, dizendo que eu também, naquela noite, não estava para amorzinho. E foi que, com todo carinho, ela levantou e me abraçou agradecendo:

''Obrigado, moreno! Vamos!''

Toda romântica e ousada ao mesmo tempo. E foi aí que eu percebi que ela era uma daquelas mulheronas da porra. E que não era tão safada assim, pois que, no fundo, ela seria, ou, é, de puro amor. Pois só queria, naquela noite, ser ousada, safada, devorada e sentir-se à vontade, pois fazia tempo que não encontrava um cara que a deixasse assim: sem vergonha de fazer o que quer entre 4 paredes ou num banheiro dum barzinho.

E foi o que ela quis ser.
E fez o que queria fazer.
E gozou como queria gozar.

Então apertei forte o seu queixo, dei um beijinho estalado e concordei:

''Eu quem agradeço, amor.''

E fomos embora. Gozados. Satisfeitos. Felizes. Tudo bem que ela foi pra casa sem anotar o meu número de telefone, mas foi embora sentindo o gosto do meu mel todinho na boca.

''Quero mais! Me liga: ****-****''

Foi o que ela deixou anotado num bilhete em cima da minha mesa antes de partir. Olhei, mordisquei o lábio inferior sorrindo e fui, arrumando a gola e abotoando a camisa, em direção a saída do bar dizendo para mim mesmo: ''Que malandra... Que malandra... vou ligar.''

13 de julho de 2017

― CALADA!!! (+18)





Ela já estava alucinada de tesão.
A buceta chegava latejar doidinha para gozar pra mim.

Eu chupando não tem pra ninguém!
Sou devorador!
Acabo com tudo mesmo!
Sem dó!

Ela já não tinha mais forças para controlar a minha cabeça. Seus dedos já não tinham mais estabilidade para arranhar minhas costas. Então com uma mão ela segurou firme no travesseiro que ficava por de baixo da cabeça, com a outra ela apertou o lençol; cravou as unhas por dentro dele; apertou; rasgou e virou os olhos mordendo o lábio inferior enquanto eu me deliciava naquela buceta.

Ao mesmo tempo que eu me perdia ali no meio dela, ela gritava pedindo para eu não parar enquanto abraçava meu pescoço com as pernas.

''Chupa, safado! Chupa essa porra!'' ― ela dizia em voz alta com os olhos virados esfregando a buceta na minha barba.

''Assim que você gosta, né minha safada?'' eu dizia enquanto dedava seu cuzinho abocanhando aquela buceta.

Já com o corpo todo soado do vinho em que derramei, ela começava a se retorcer toda na cama de tanto tesão que eu, ali naquele momento, despertava. Mas quando atolei dois dedos dentro daquela bucetinha quentinha fazendo um movimento bem rápido; socando e tirando; socando e tirando sem parar, na minha velocidade máxima e, subindo e descendo com a língua bem rapidinho em seu clítoris, chupando-o sem parar, isso: SEM PARAR!, ela gozou!, li-te-ral-men-te, assim mesmo, bem de-va-ga-ri-nho, sussurrando, gemendo e gritando bem alto, T-U-D-O na minha boca.

E, enquanto eu me deliciava naquele mel que escorria, ela gritava aliviada me xingando de filho da puta. Olhei pra ela com cara de canalha e com a barba toda lambuzada, estiquei a mão para tapar sua boca e disse:

― CALADA!!! não faça barulho - repeti.

Ela só sorriu safadamente chupando dois dos seus dedos e passando no biquinho do seus peitos soprando baixinho:

''― Que moreno gostoso do caralho!''

Eu, com a boca toda gozada, fui subindo devagarinho deslizando a minha barba sobre aquela barriguinha, mordiscando aqueles peitos bem durinho, parando perto da boca dela, segurando pelo queixinho, dando um beijo e concordando:

''― EU sei! EU sei! Abre a boquinha que agora é a sua vez de ganhar leitinho.''

E foi. E ganhou. E tomou tudo pela boquinha.
Pra depois tomar pelo cuzinho.

21 de junho de 2017

Meu passado me fez crescer.


Tenho aprendido muito com a vida, com a dor e com o passado. O coração de tanto se doar e me doer, tem me ensinado um bocado de coisa durante toda essa minha vivência.

Ontem, na beira da cama, de papo comigo mesmo, com o meu eu mais íntimo, tive a certeza que as pessoas não somem da nossa vida por acaso. Tudo, querendo ou não, tem um propósito e, na maioria das vezes, nada é do jeito que a gente quer.

Aprendi a não acreditar em tudo. Aprendi a não esperar nada de ninguém. Aprendi a reclamar menos; agradecer mais. O coração, de tão bom que é, me ensinou a não confiar em quaisquer palavras em vão ditas da boca para fora. De um tempo pra cá tenho crescido muito interiormente que não é qualquer coisa que pode me desmoronar por dentro.

Daí você me questiona:
''Mas como é que você sabe que são ditas da boca pra fora, Fernando?''

Não tem segredo. Tá na cara. No olhar. Nos gestos. Nas atitudes do outro. Uma pessoa não vai falar que tá morrendo de saudade e que quer te ver. Ela vai chegar apertando sua campainha sem te avisar só afirmando com os olhos que cansou de esperar. Ela não vai dizer que tá trabalhando muito, que tá estudando demais ou que não tem tempo e dinheiro. Ela vai reservar uma horinha pra te ver, vai dar um pulo, uma cambalhota, um mortal, mas vai estar contigo. Tudo na vida é questão de prioridade. Eu, por exemplo, quando estou afim de alguém, faço de tudo: compro as passagens, faço as malas, arrumo o coração e vou. Não tem desculpa. Não tem migué. Ou é, ou não é. Uma pessoa quando quer, vai e faz. Outra pessoa que não quer, espera, espera e espera, e sempre deixa de fazer e no fim acaba virando saudade, saudade, e só.

O coração me ensinou também que não se pode resolver coisas que é por conta do tempo. Às vezes o tempo apaga; acende, apaga; acende, mas é tudo por conta dele. Não é preciso ter pressa. Nem nos precipitar. Tem coisas que devemos deixar o tempo resolver. Só ele irá dizer se é bom ou ruim para nós.

Ontem à noite, sentado na beira da minha cama e, entrando em contato comigo mesmo, pude ter a certeza que para um relacionamento dar certo, ambos precisam ter uma boa sintonia em coração e em maturidade, porque orgulho e egoísmo não traz ninguém de volta. Só afasta.

Fernando Oliveira.

15 de março de 2017

Príncipe não! Ela só quer um cara bacana.



Mas ela - ao contrário da maioria - nunca foi de sair por aí procurando pelo príncipe encantado e nem pelo cara perfeito, mas sempre rezou e pediu pra Deus que um bom cara cruzasse o seu caminho. 

Um cara bom, digo assim: Que ao errar com ela, reconheça seus erros. Que os defeitos dela, ele saiba lidar. Que os desejos dele de crescer na vida sejam iguais aos dela. 

Que seja forte, não em músculos, mas em personalidade. Que seja rico, não em dinheiro, mas em amor. Que seja simpático, não pra todas, só para quem tem respeito. Que seja bravo, não toda hora, só na cama. Que seja carinhoso, não todo dia, só depois de uma noite longa de muito amor. Que seja romântico, não sempre, só quando ela precisar. Que seja safado, não na rua, mas dentro de casa. Que a deixe livre, mas não solta. Que a prenda no coração, mas não sufoca.

E que seja assim, para sempre. Que a complete quando faltar algo. Que lhe faça ser mulher, quando ela se sentir menininha. Que encare a vida do jeito que ela encara. Afinal, pra ficar do lado dela, não precisa ser príncipe encantado não, tem que ser cabra macho, meu bem. Cabra Macho!

Photo: Nathalie Barros 
Insta: @nathaliebarros 

Fernando Oliveira. 

13 de março de 2017

Eu quero que você devolva tudo aquilo que tirou de mim.



Por mais que cada um tenha ido para um lado diferente da vida: você para lá e eu para cá, fiquei aqui perdida, desorientada e incompleta. Mas não me entenda errado, por favor. Não é saudade. Não é falta de você. Também não é vontade. Você se despediu de mim e levou um pedaço do que eu tenho de mais bonito: o coração.

Agora estou aqui, com só a metade em mãos, me sentindo incompleta por ter deixado contigo o meu lado mais lindo da vida. Me devolva, por favor, preciso de mim mesma para viver. Faz uns dias que sinto saudade de mim. Eu não sou mais a mesma. Eu preciso de mim.

Traga de volta tudo isso que você roubou de mim. Mas não traga o nosso amor-furado, traga só o meu amor que ficou todo contigo quando você partiu. Eu quero que você devolva tudo que tirou de mim. Mas não falo de bens materiais não. Jamais. Nem daquele presente bonito que te dei no seu aniversário. Nem daquele jantar que paguei para nós em um dia comemorativo. Nem daquela viagem que eu te levei. Eu não quero essas coisas que eu fiz por vontade própria. Eu quero eu de volta. Eu quero a pessoa que eu era.

Eu quero o que você tirou de mim: a minha esperança de acreditar de novo no amor, de que posso ser feliz, de que posso sim ser especial para alguém. Quero que me traga todas as minhas certezas de que eu ainda vou encontrar uma pessoa diferente de você mas que seja parecida comigo me aceitando do jeito que sou. Vai. Anda. Manda de volta  esse pedaço do meu coração, preciso de mim para viver. 


Fernando Oliveira.

23 de fevereiro de 2017

Chegou a hora de te dizer adeus.



Cara, você passou a sentir minha falta assim que eu te deixei. Você passou a gostar de mim assim que eu parei de me preocupar e ter que ficar implorando pelo seu amor. Você passou a me amar assim que soube que eu já tinha aprendido a viver sem você e comecei seguir a minha vida gostando de um outro alguém. 

Você foi burro, cara, perdeu a oportunidade de ficarmos juntos. Tínhamos tudo para dar certo, mas você não fez por onde. Fez com que eu me perdesse de ti e nem teve coragem de me achar. Agora que soube das novidades de eu estar muito bem, feliz e satisfeita, você vem com esse papo de que ainda gosta, sente falta e saudade só pra azarar a minha vida novamente. 

Você perdeu uma grande mulher. Não é que eu me ache a tal não, é porque é verdade. Pode perguntar por aí, e só ouvirá coisas boas. E agora? Agora já era. Agora é tarde. O dia escureceu pra você. Passou da hora. Quem perdeu foi você, não eu. Eu não vou querer voltar pra'quilo que éramos, jamais. Amar sozinha é chorar em dobro. Querer cuidar de um coração sem ser recíproco é um suicídio. Não quero mais! Sua chance passou e eu não costumo viver perdoando e dando chances infinitas para quem não sabe aproveitá-las. 

Hoje eu escolhi um novo caminho para seguir que você já não faz mais parte. Quando eu me perdi de ti, você não teve coragem de me encontrar. Então decidi caminhar sozinha na vida e acabei achando uma nova estrada melhor. De tantos desencontros a gente acabou se perdendo. Meu coração já nem sabe mais ir até a sua casa. Minha boca nem reconhece mais o caminho da sua. Meu corpo já não mora mais no seu. Minha saudade já nem te sente mais. Meus pensamentos, hoje, já são outros. Realmente estamos completamente perdidos um do outro e já nem quero mais me encontrar em você. E óh, te desejo o bem, de verdade. Espero que você encontre uma pessoa que seja da mesma vibe que você e que consiga achar um bom caminho para seguir, porque você tá precisando, cara. E te desejo paz também, porque cada um oferece aquilo que tem dentro de si. Hoje estou num estado de paz, graças a Deus, me encontrei. E vou seguindo em frente, vou para onde o meu coração me levar. E tenho certeza, que pra onde ele me guiar, você não vai estar pelo caminho. Adeus.

Photo: @jeniferkleinbr 

Fernando Oliveira.



31 de janeiro de 2017

SÓ FALTA DIZER QUE ME QUER.



Vem passar o resto da vida comigo?

Deixa esse medo de amar na beira da janela para o vento soprar pra bem longe e coloca toda essa vontade de nos amar em nossa cama. Vem devagarinho. Me ama bem baixinho. Com calma, com leveza, na paz. Não deixe esse seu medo te acordar desse nosso sonho bonito.

Vamos viajar por aí e conhecer suas praias preferidas; as minhas também. Montar aquela barraca de frente para o mar e, antes do anoitecer, quando o pôr-do-sol nos dar boa noite nos convidando para mais uma noite longa de amor, deixa eu te amar em silêncio. Em segredo. Deixa eu ouvir só o barulho do seu coração pulsando de conforto, vontade e tesão. Vamos desfrutar do nosso amor sem deixá-lo cair na rotina. Vem. 

Vamos pegar um cineminha na semana. Andar de mãos dadas no shopping. Fazer um piquenique no gramado do parque da cidade. Andar de bicicleta juntos, de skate ou patins, deixando o vento soprar nosso rosto e cabelo, nos mostrando o caminho que devemos seguir para ser feliz. Vamos ao mercado fazer compras. Vamos registrar todos os nossos momentos criando um álbum de felicidade só para nós dois e mostrar, daqui uns 40 anos, para os nossos filhos e netos, o quão éramos felizes. Vamos viajar por aí para conhecer o que a vida tem para nos apresentar e deixa, com carinho, eu viajar dentro de nós para conhecer, de tão bonito que é, este nosso mundo.

Tá na hora de dizer que me quer. Me abraça e me aperta dizendo que sim, que sim e que sim. Pode repetir um monte de vezes. Diz que pode ser para sempre. Afirma-me que será para a vida toda mesmo sabendo que tudo é por enquanto. Me faça ter certeza. Senta comigo numa rede no fundo do quintal de casa. Coloca sua música preferida bem baixinho para trocar e me conta, com um sorriso no coração, que você veio para ficar. 

É hora de dizer que sou seu e deixar, de uma vez por todas, eu falar - de boca cheia - para o mundo que eu encontrei a mulher dos meus sonhos. Me abraça de novo. Me gira no seu colo. Me joga para o alto fazendo eu voar, mas não solte as minhas mãos e, por favor, com todo amor, termina esse voo longo comigo. Até o infinito.

Fernando Oliveira.

18 de janeiro de 2017

Enquanto você tá indo, eu já voltei.


Falar que me esqueceu é fácil. Quero ver é me tirar dos pensamentos, da cabeça, do coração. Isso eu quero ver. Sair dizendo para os amigos por aí que não sente mais a minha falta é moleza, quero ver deixar de mandar mensagem quando chegar a hora de deitar no travesseiro e a saudade, do que eu fui, te der boa noite. 

Dizer por aí que não me procura é tranquilo. Qualquer pessoa irá acreditar no seu papinho furado de homem durão, malandro e cafajeste, mas só eu sei o quanto tu me atormenta pedindo para me ver mais uma vez, mais um dia, mais uma noite. Quero ver falar para todos que é você quem sente falta, que procura, que vem atrás, que faz juras de amor dizendo estar morrendo de saudade. Quero ver mandar a real, falar a verdade, jogar limpo. 

Quer viver engando quem com essa parada de fingir que nem lembra mais da sua ex? Eu? Seus amigos? Sua família? Quer pagar de durão na mesa de bar, mas quando a carência bate e não tem ninguém para te satisfazer é você quem me procura. Quer dar uma de ''desapegado da ex'', mas quando bebe a terceira garrafa de cerveja é o meu nome que você procura na agenda do seu telefone. Que você ainda me procura, pergunta de mim para minhas amigas, curte as minhas fotos para chamar a atenção, isso você não conta para os seus amigos. Isso você esconde, não revela, não mostra.

Tenho certeza que você ainda deve falar por aí que sou eu quem te procuro, que vou atrás, que mando mensagem, que te ligo, que vivo implorando pra te ver... mas se todo mundo soubesse da real, iriam olhar pra tua cara e dar risadas de deboche querendo dizer que ''ele ainda fala mal, mas não larga'', ''disse que não gosta, mas não vive sem'', ''fala que tá saindo com outras, mas não sai do pé da ex''. Babaca. Vacilão. Isso que você é.

Fica aí pagando de durão, mas todo mundo já viu que é só você quem não se desligou da gente. Eu me desliguei faz tempo de você e de tudo. Tirei nossa televisão da tomada. Apaguei a luz. Cortei os fios. Troquei o nosso filme. Acabei com a nossa novela. Desliguei meu coração, totalmente, de nós. Ele já não bate mais por você. Aprendi a respirar sozinha. Chega de assistir esse teu joguinho que eu já sei o final. Chega de fazer pipoca, chocolate quente e ver você acabar comigo. Hoje o jogo virou. Quem irá assistir, no chão, eu passar por cima disso tudo, vai ser você. O mundo, de tão bom que é, dá voltas. Mas quem rodou foi você.

Pode continuar mentindo para os outros que não me vê há anos, meses e semanas. Pode dizer que me bloqueou no facebook. no instagram e no whatsapp. Pode dizer para seus familiares que me bloqueou de tudo, mas quero ver você me bloquear do seu coração, dos seus pensamentos e da sua vida. Porque da minha, quem te bloqueou, foi eu. E hoje eu bato no peito e ainda empino o nariz dizendo: ''Enquanto você tá indo, eu já voltei.'' Agora eu só te desejo boa sorte. Não querendo ser ironica, mas é porque você vai precisar mesmo. E é isso aí. Até mais, bonitão. 

Photo: Vitória Santana.

Fernando Oliveira.