29 de março de 2016

ELA É A MINHA SAUDADE MAIS BONITA.




Se eu soubesse que seria nosso último beijo; teria te beijado mais. Se eu soubesse que seria nossa última tarde de amor; teria te amado bem devagarinho. Se eu tivesse bola de cristal para adivinhar que não nos veríamos mais na vida; teria te prendido no meu abraço. Se eu conhecesse o destino e soubesse que ele iria te levar pra bem longe daqui; teria pedido pra você ficar mais um pouco naquele sofá me ouvindo a cantar um poema que um dia te escrevi.

Se eu soubesse que você não voltaria mais; não teria deixado a porta aberta. Se eu soubesse que você não iria mais passar uma tarde de quinta-feira fazendo amor; não teria nem arrumado a cama. Se eu soubesse que você não aparecia mais pra me dar ''comida de rabo'' me chamando de vacilão; não te deixaria partir.

Achava tão bonito quando você esquecia os olhos em cima dos meus, sua boca em cima da minha, seu coração grudado no meu. Gostava tanto quando você apertava minha mão e dizia que tava com saudade. Adorava quando me olhava com aquela cara de que ali, você iria - safadamente - me devorar. Até eu, por ser o mais abusado, ficava sem graça. Gostava de, depois do amor, quando você se deitava em meu ombro e eu te via dormir, alí, naquele momento, eu cuidava de você quietinho.

É que você não notava, mas toda vez que eu te dava tchau pra você ir pra casa, eu queria ir junto contigo. Nunca gostei das nossas despedidas porque sabia que iria demorar para nos ver de novo. Eu sempre queria que você ficasse mais um pouco; mas não podia. Eu sempre quis um dia pegar e falar: ''Fica pro almoço, pro jantar ou pro filme à noite'' mas nunca disse, e por não dizer, você se foi.

Só te disse uns dias atrás que sentia saudade, não que eu fosse até você e nem que ficaria por aqui te esperando. Tô me divertindo por aí, me distraindo, pensando. Mas fica na paz, porque de longe ainda te sinto, por você ser a minha saudade, ao sair pra curtir, sempre te levo comigo. Hoje, 29 de março às 04h31 da manhã te escrevo como se você ainda estivesse aqui, mas ao acabar o texto vi que você já tinha ido embora. Tá vendo; mais uma noite pensei em te-ter. Desculpa pelo horário, é que fui escrever sobre o amor e acabei falando de você. 

Ps: Apareça quando quiser. Saudade.

Fernando Oliveira.















4 de março de 2016

PODERIA SER A GENTE.





Lembra daquele casal no ônibus que o garoto segurava a bolsa da sua namorada porque estava pesada e ela vivia agradecendo ele com beijos e olhares de que ali, ao lado dele, estava completamente segura? Lembra, né? Ajudar a companheira é amor, poderia ser a gente. 



Lembra de um casal que a gente viu correndo de bicicleta no parque e pararam do nosso lado para tirarem fotos enquanto se abraçavam e se adoravam dentro dos seus beijos? Lembra? Então, andar de bicicleta no parque é amor, poderia ser a gente.




Lembra também daquele casal na fila do banco que a namorada ficou com ciúmes porque o seu namorado olhou pro lado e a garota achou que ele tava de olho na mulher que estava passando e eles tiveram uma pequena briga de ciúmes só pra provarem - pra gente - que eles realmente se gostavam? Então, ciúmes também é amor, poderia ser a gente.



Lembra daquele casal na beira da praia que o garoto tocava seu violão e cantava uma bela música para a sua namorada enquanto ela dava um gole em seu drink e o admirava de perto toda a sua delicadeza e sensibilidade? Pois é, cantar pra alguém é amor, poderia ser a gente. 



Lembra daquele casal no shopping que a gente esbarrou por eles umas cinco vezes e em todas essas vezes eles não descruzaram as mãos e faziam grandes compras juntos? Eu sei, eu prestei atenção neles, fazer compras juntos também é amor, poderia ser a gente. 



Tudo de bonito poderia ser a gente mas você não colabora, você não ajuda, você não se esforça. Você prefere viver nessa vida solitária; de dormir bêbado e acordar na ressaca. Você prefere seus fins de semanas movimentados em farras do que calmos em dois corações. Você não tem coragem de encarar o amor que tem aí dentro de você. Você ainda não tá preparado pra isso. Sinto pena, sério. Tu tá perdendo com coisas que não vão te ajudar em nada. E eu tô aqui, óh, cheinha de amor para dar mas você não colabora, meu bem.
Fernando Oliveira.